Onde é que o Rock Errou? (Capítulo 01)

Olavo Campos

– Ê musiquinha dos infernos!!! – Dizia Seu Juca enquanto entrava na bodega de Antônio Jabá, ainda limpando a poeira das pontas de osso e espanando a roupa com o chapéu de feltro.

– Mas o que sucedeu, Seu Juca! Procê tá praguejano e pondo melado dos cotovelo?

– Um chifrudo que deu um grito no meu radim que ripiei até os cabelo do fóli, quase morri de susto!!! Escapei com a Isaltina numa ribanceira e só não me estropiei mais devido a um cupim que eu topei no meio da jornada.

-Mas ele gritou feio assim?

-Você não viu nada! e a barulheira que veio depois? Acho que é um tal de Roque que eles tão tocando na rádia… mas a verdade é que eu nunca vi a cara desse peão.

-E a Isaltina? Machucou?

-Não Sinhô, graças a Deus!

Isaltina era uma bicicleta pra lá de boa, que já passou por tantas pinturas que ninguém sabe mais a marca. É fato que ela precisa de um pouco de óleo nas juntas e grita feito um carro de boi quando anda, mas anda quando tem que andar e pára quando assim se necessita. Transporte melhor por essas bandas não há.

Continua…

Anúncios
Esse post foi publicado em Conto. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s