Do Céu e do Tempo

Na falta do que escrever to postando algumas poesias das antigas, rs…

Do Céu e Do Tempo
Olavo Campos

Plena vida de áureos cuidados
Donde faz-se o sonho e desfaz-se o brio
Em cujos baços de todo desvario
no torpor sublime dos beijos tão amados

E o atrativo olor de seu corpo iluminado
Penetra o peito e, dele, me inebrio
Enfeitiçado e alto, choro e rio
Ao ver no chão seus panos retirados

E agradeço aos céus por ter criado
Alma tão pura pela qual eu hei vivido
Dias cujo tempo desejo eternizado

Mas se o tempo insiste em ser corrido
busco nesta ver meu peito completado
E acho amor, mais forte, nunca visto

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s