PQ…P

Olavo Campos

Pq esta ilusão incessante?

Esta vontade de encontrar um amor pleno

Real como viver plenamente um instante

E lúdico como o pôr do sol na lagoa.

            Não rimou,
mas rima não é o que quero

Sentir um "quê" reconfortante é o meu desejo

Realizado em mentiras que se mostram

Mais reais que tudo aquilo vejo

Menos doloridas

Que as pedras que ferem meu joelho.

Uma ilusão não tão ótica nem tão lúdica,

Nem tão lúcida, nem tão ilusiva,

Nem tão corruptiva ou nem tão pura

Como uma jura que fez mas não se faria.

Que não se diria.

Que não se cumpriria.

Que não é jura!

É amor tão só, e apenas só, amor!

Mais só que puro, é verdade

            Só!

Um sentimento que se fez e faz faminto

Fatídico, fictício, fabuloso, fantasioso,

Furioso, fútil, enfim, pueril!

            É isto!..
Pueril!

            Não tem
"F" em pueril, mas F não é o que quero.

Quero um amor Pueril

Como uma criança que ama a mãe

            Ou o pai,
você escolhe!

Só não escolho eu!

E isto é tudo.

Só!

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para PQ…P

  1. marcela disse:

    Muito bom seu Poema!
    Achei "Fabuloso"..Sério..
    Bjos Tchela…
    TP4Ever!!! rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s