Meu Tempo

Meu Tempo
Olavo Campos

Nada escrevo mas nada temo.
Nada quero mas tudo busco.
Se tudo hoje é um só crepúsculo,
Me falta ainda a vacina do tempo.

Que dói e sara a cada momento
A ausência do beijo desejado,
A falta do abraço apertado
e o ombro de apoio pro tormento

Mas não me falta, é verdade
A experiência da idade
E o poder do sentimento.

Que me emerge e mantém de pé
Que não me deixa perder a fé,
De que o pai de tudo é o tempo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Poesia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s